Hänsel e Gretel renderam-se à casa da Educação


João Hänsel e Maria Gretel são dois sindicalistas desesperados na floresta. Pensaram que nunca mais iam encontrar o caminho de regresso a casa quando, de súbito, descobriram uma cabana de chocolate. Lá dentro vivia uma senhora simpática que logo os convidou a entrar e começou a empanturrá-los com guloseimas.
Os sindicalistas, felizes, foram-se deixando ficar lá por casa, enfeitiçados pela doçura de tão delicada e sorridente senhora, cujos trejeitos tinham vagas semelhanças com personagens dos livros “Uma Aventura”.
Um dia essa mesma senhora arregalou-lhes os olhos e zás catrapás: os sindicalistas ficaram prisioneiros! De mãos atadas e enfiados no quarto, viram-se privados de trocar sms com os camaradas.
O tempo foi passando e eles nem se aperceberam de que os professores estavam cada vez mais zangados porque os seus enviados se deixaram iludir com doces e sorrisos.
Os sindicalistas bem queriam lutar, mas as suas bocas, antes habituadas aos megafones, estavam agora viciadas nos chocolates que todos os dias a bruxa deixava nos seus quartos. Estão gordos que nem uns texugos, têm a boca a precisar de intervenção do doutor Maló, mas ainda tentam libertar-se das amarras: põem acções nos tribunais, convocam grandes manifestações de rua e estão quase, quase a pôr a bruxa no forno.
O que aconteceu depois não se sabe. Os irmãos Grimm tentaram contactar o gabinete da bruxa má, mas não foi possível obter esclarecimentos até ao fecho desta aventura.

Conto do Jornal i