Em época de consoada geralmente o CG reúne-se


E convém saber que a interpretação da DGRHE, sobre as faltas dos docentes às reuniões do Conselho Geral, é de uma atrocidade incrível, para não variar.

A IGE tem um entendimento claro sobre o assunto e não deixa qualquer dúvidas sobre o conceito de faltas dos docentes no Concelho Geral.

E se alguém se lembrar de colocar no regimento do Conselho Geral uma situação específica para  faltas dos docentes, lembrem-se que terão de colocar procedimento idêntico para todos os restantes membros do Conselho Geral.

5 comentários a “Em época de consoada geralmente o CG reúne-se”

  1. Esclareço que esta situação é a que se passa no CG do Agrupamento de Escolas de Vila Flor. Por mais que eu diga ao Sr.º Presidente do Concelho Geral que não se pode marcar faltas aos docentes, decidiu seguir o entendimento da DGRHE, traz-me a memória “estórias” de objectivos e assim… Depois têm de rever posições!

  2. “Há perguntas que não se devem fazer”. Na minha escola resolvemos a questão sem perguntar. PCG e DRT de acordo e não há faltas. Participar no CG é serviço voluntário. Para papistas já chegam “os de lá de baixo da capitale”. Tem tudo corrido bem e as conversas informais e animadas no fim têm demorado tanto como as reuniões. Bom senso facilita a vida.

  3. Se houver horas de redução na componente lectiva (para o presidente, por ex) ou na componente de estabelecimento para os outros membros docentes não sei não……

  4. Olá Arlindowski
    Fui convocada pelo órgão de gestão para uma acção de formação “Escola Virtual”, como penso que não preciso dessa formação, não compareci e agora querem que meta falta a 2 tempos. Há alguma lei que nos obrigue a isso? Obrigada

Os comentários estão fechados.