Era uma vez um campeão…

Perdeu o brilho, mas mantém a alma. Afogado em dívidas, sobrevive graças à boa vontade de alguns sócios

É daquelas narrativas que podia começar como qualquer conto de fadas. Era uma vez um clube de um bairro do Porto que um dia sonhou incomodar os grandes. Vestiu umas camisolas esquisitas aos quadrados pretos e brancos, construiu um estádio como os três grandes, foi campeão e espantou a Europa na Liga dos Campeões. Hoje, o Boavista perdeu o brilho mas mantém a alma. Está afogado em dívidas, massacrado por pedidos de insolvência e sobrevive graças à boa vontade de alguns sócios.

A história do Boavista confunde-se com a história da família Loureiro. Um herança de 30 anos recordada com revolta por uns, saudade por outros. Na Boavista lá está o símbolo da glória e da desgraça: o Estádio. O Bessa é hoje um santuário de memórias. Era uma vez um campeão…

Anúncios