5 opiniões sobre “Educação e Saúde não escapam à regra dois por um”

  1. “Foi um mal entendido por várias vezes repetido”

    Ou uma volta a 180º como tem acontecido com alguma frequência nos últimos dias.

  2. O moço da foto.

    Há cerca de dois meses, o secretário de Estado tinha salientado a especificidade destes sectores. A imprensa noticiou, então, que a Educação, a Saúde e as forças de segurança não estariam sujeitas à aplicação da regra.

    “Foi um mal entendido por várias vezes repetido”, afirmou hoje. “A lei é muito clara e a intenção do Governo é que todos os sectores estão sujeitos à regra de uma entrada por pelo menos cada duas saídas. Se depois em função do serviço temos que dar prioridade [a determinados casos], é uma questão de bom senso. Em áreas tão sensíveis como esta não podem ser regras cegas. Mas são de aplicação universal”, acrescentou.

Os comentários estão fechados.