Código de Trabalho


Nada de novo quanto aos resultados das “negociações” com as estruturas sindicais.

A Frente Comum não chegou a acordo com o Governo sobre o diploma de carreiras e remunerações e contrato de trabalho em funções públicas, hoje discutido, afirmando-se indignada com o acordo alcançado com os restantes sindicatos.

À saída de uma reunião negocial com o secretário de Estado da Administração Pública, João Figueiredo, o secretário coordenador da FESAP, Nobre dos Santos, explicou ter já chegado a acordo com o Governo relativamente ao regime de carreiras e remunerações “com ganhos para os trabalhadores”.

No final da tarde, o mesmo entendimento, deverá ser alcançado relativamente ao contrato de trabalho em funções públicas, após a discussão de “alguns textos”, acrescentou Nobre dos Santos, adiantando que o despedimento por inadaptação foi afastado do diploma.

A única novidade mesmo (não sei se é novidade) é o discurso de Ana Avoila.

 

“Qualquer acordo com este documento é uma traição para os trabalhadores, porque estes vão perder todos os seus direitos”

“O despedimento por inadaptação mantém-se, a precariedade também e eu, como trabalhadora, vou indignar-me com os sindicatos que assinarem este documento”

“Os trabalhadores vão saber responsabilizar os sindicatos que assinam um documento que lhes vai retirar os direitos adquiridos”

A acta de concordância com a FESAP está aqui, vou ler bem sim senhora, para ver quem vou responsabilizar.

Anúncios