Fita-cola para calar… Sócrates


fita cola

No dia que a fita-cola tornou-se publicamente num instrumento de punição encontro uma campanha publicitária onde o nosso PM faz uso desse plástico colante para promoção da imagem política.

É uma campanha publicitária inovadora e que já somou prémios. Uma das figuras é José Sócrates, não necessariamente pelos melhores motivos.Aproveitando uma frase pouco feliz do primeiro-ministro («cada um de vós dará o seu melhor para um país mais justo, para um país mais pobre»), a Heads Propaganda, de Curitiba (Brasil), decidiu colocar uma fita-cola, da marca Tesa, em cima da sua boca, para demonstrar que, por vezes, os políticos deviam tapar a boca. Segundo a revista Meios & Publicidade, esta publicidade será mesmo apresentada no Festival de Publicidade de Cannes.Mas, para além de Sócrates, surgem outras figuras e as suas correspondentes gaffes. São os casos de George W. Bush, Hugo Chavez, Silvio Berlusconi, Lula ou a polémica ministra do turismo, Marta Suplicy.A campanha foi lançada na imprensa brasileira em Janeiro e cativou o meio publicitário, que se apressou a colocá-la entre as melhores do ano, tendo recebido mesmo o Prémio Colunistas do Brasil.

«Decidimos juntar algumas asneiras que os políticos dizem e ligar isso com o produto. Começámos a procurar políticos e o primeiro que nos apareceu como óbvio foi o Bush por ser o campeão da bobagem», explicou Paulo de Almeida, director de arte da campanha.

E esta, hein?

Anúncios

Um pensamento em “Fita-cola para calar… Sócrates”

  1. Nico Diz:
    Abril 2, 2008 at 6:23 pm
    «CONFAP reúne a 18 de Abril com PGR
    Pais denunciam maus-tratos a crianças em audiência com Pinto Monteiro
    Presidente da Confederação defende responsabilização dos docentes

    O segundo caso, avançado ontem pelo PÚBLICO, diz respeito à queixa-crime apresentada pelos pais de três crianças da escola básica do Salgueiral, em Guimarães, onde uma professora alegadamente usou fita-cola para calar os alunos.
    (…)
    «O presidente da CONFAP, Albino Almeida, mostrou-se indignado com ambos os casos e sublinhou que “há brincadeiras que nem sequer se devem pensar, quanto mais fazer”, visto que nem todas as crianças as vão entender como tal. “Os professores devem assumir as consequências dos seus comportamentos”, defendeu o responsável.
    (…)
    Apesar de considerar que os casos “felizmente são poucos”, Albino Almeida considerou urgente denunciá-los a Pinto Monteiro, para que “desapareçam rapidamente” do meio escolar.»

    notícia do Público online e comentário de um leitor:
    02.04.2008 – 15h45 – Miguel, Celorico de Basto
    Isto está a chegar a um ponto onde até a palavra ridículo já nem assenta bem. Sei o que se passou na escola de Guimarães e até foi uma mãe no próprio dia em que isto foi noticiado numa rádio local desmentir e contar a imprensa o que lhe tinha contado o próprio filho. O filho que estava na aula quando se passou esse episódio disse que estava a turma toda a colar folhas rasgadas que tinham, e a professora estava ajuda-los, no entanto estavam a fazer barulho quando a professora começou a mandar calar, ao que não se calaram. Depois então disse a um dos alunos que lhe poria fita cola na boca se não se calasse e este imediatamente lhe disse. “ponha professora, ponha” ela pôs e foi a rizada total na turma até que mais dois alunos também lhe pediram o mesmo, mas ela acabou com a BRINCADEIRA e tirou logo a fita da boca do miúdo. Isto é o q?? agressão?? (atenção que isto foi contado por um aluno). Isto é um energúmeno de um pai que por algum motivo resolveu que queria ser manchete.. e já agora, sabem quem é esse pai?? O BRUXO DE FAFE. Sem comentários. Já que estamos na onda de queimar professores, bora lá queimar mais um. Haja vergonha neste país. A começar pela comunicação social.

Os comentários estão fechados.