TAVIRA quer "adoptar" professores

O título não é meu, é mesmo do jornal.

O presidente da Câmara de Tavira prontificou-se para que a sua autarquia integre um projecto-piloto de gestão municipal de professores em escolas do ensino básico.

A pressinha que deu nestes autarcas, falou-se em transferência de competências para as autarquias e já estão eles prontinhos para “domar as feras”.

Em carta enviada à ministra da Educação Macário Correia oferece-se para acolher a gestão de pessoal docente “em experiências a encetar“, assumindo a “total disponibilidade” do município para “assumir integralmente essa responsabilidade“.

As cobaias seremos nós, neste caso.

Justifica que a mudança trará “coerência e qualidade de gestão“, devido ao “efeito de proximidade” entre a Câmara e as escolas do concelho.

Neste aspecto até dou alguma razão. Qualquer autarquia deve conseguir fazer um melhor trabalho que este incompetente Ministério da Educação.

Macário Correia reiterou a disponibilidade da sua autarquia num projecto-piloto a nível nacional, baseada no conhecimento que tem das escolas e na experiência de gestão municipal.

Digo eu, “ver um Macário apressado é o mesmo que lamber um monte de esterco“.

TAVIRA quer “adoptar” professores

O título não é meu, é mesmo do jornal.

O presidente da Câmara de Tavira prontificou-se para que a sua autarquia integre um projecto-piloto de gestão municipal de professores em escolas do ensino básico.

A pressinha que deu nestes autarcas, falou-se em transferência de competências para as autarquias e já estão eles prontinhos para “domar as feras”.

Em carta enviada à ministra da Educação Macário Correia oferece-se para acolher a gestão de pessoal docente “em experiências a encetar“, assumindo a “total disponibilidade” do município para “assumir integralmente essa responsabilidade“.

As cobaias seremos nós, neste caso.

Justifica que a mudança trará “coerência e qualidade de gestão“, devido ao “efeito de proximidade” entre a Câmara e as escolas do concelho.

Neste aspecto até dou alguma razão. Qualquer autarquia deve conseguir fazer um melhor trabalho que este incompetente Ministério da Educação.

Macário Correia reiterou a disponibilidade da sua autarquia num projecto-piloto a nível nacional, baseada no conhecimento que tem das escolas e na experiência de gestão municipal.

Digo eu, “ver um Macário apressado é o mesmo que lamber um monte de esterco“.

Correntes d'Escritas 2008

Arranca hoje, com o anúncio do vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa, a 9.ª edição do Correntes d’Escritas – Encontro de Escritores de Expressão Ibérica, que decorre, até ao próximo sábado, na Póvoa de Varzim.

Depois do mesquinhez política do dia de hoje, eis que surge algo que me faz pensar que o mundo afinal existe.

Liberto-me de tensões e dedico-me apenas e só apenas à cultura, esperando que amanhã o dia nasça mais limpo.

Correntes d’escritas 2008

Participantes nas Correntes

1.  Adolfo García Ortega (Espanha)

2.  Almeida Faria (Portugal)

3.  Amadeu Baptista (Portugal)

4.  Ana Paula Tavares (Angola)

5.  André Sant’Anna (Brasil)

6.  Aurelino Costa (Portugal)

8.  Carlos do Carmo (Portugal)

9.  Carlos Quiroga (Espanha/Galiza)

10. Carme Riera (Espanha/Catalunha)

11.  Cristina Norton (Argentina)

12.  Cristino Cortes (Portugal)

13.  Daniel Mordzinski (Argentina)

14.  Eduardo Halfon (Guatemala)

15.  Eduardo Mendoza (Espanha/Catalunha)

16.  Eugenia Almeida (Argentina)

17.  Filipa Leal (Portugal)

18.  Francisco José Viegas (Portugal)

19.  Ignacio del Valle (Espanha)

20.  Isabel da Nóbrega (Portugal)

21.  Ivo Machado (Portugal) 

22.  J.J. Armas Marcelo (Espanha)

23.  Janet Nuñez (Colômbia)

24.  João Paulo Cuenca (Brasil)

25.  Jorge Sousa Braga (Portugal)

26.  José Carlos de Vasconcelos (Portugal)

27.  José Eduardo Agualusa (Angola)

28.  José Emílio-Nelson (Portugal)

29.  José Manuel Vasconcelos (Portugal)

30.  José Manuel Saraiva (Portugal)

31.  José Norton (Portugal) 

32.  Juan Carlos Mestre (Espanha)

33.  Júlio Moreira (Portugal)

34.  Kiluanje Liberdade (Angola)

35.  Lêdo Ivo (Brasil)

36.  Leonardo Padura (Cuba)

37.  Lígia Walper (Brasil)

38.  Luís Machado (Portugal)

39.  Luís Serguilha (Portugal)

40.  Luiz Fagundes Duarte (Portugal)

41.  Manuel Rui (Angola)

42.  Manuela Azevedo (Portugal) 

43.  Marcelo Rebelo de Sousa (Portugal)

44.  Maria do Rosário Pedreira (Portugal)

45.  Maria Flor Pedroso (Portugal)

46.  Maria João Seixas (Portugal) 

47.  Maria Lúcia Lepecki (Brasil)

48.  Mário Pinheiro (Portugal)

49.  Mia Couto (Moçambique)

50.  Miguel Real (Portugal)

51.  Ondjaki (Angola)

52.  Onésimo Teotónio Almeida (Portugal)

53.  Oscar Málaga Gallegos (Peru)

54.  Paulina Chiziane (Moçambique)

55.  Pedro Teixeira Neves (Portugal)

56.  Pepetela (Angola)

57.  Rui Grácio (Portugal)

58.  Rui Zink (Portugal)

59.  Susana Fortes (Espanha)

60.  Tabajara Ruas (Brasil)

61.  Teresa Rita  Lopes (Portugal)

62.  Uberto Stabile (Espanha)

63.  valter hugo mãe (Portugal)

64.  Vergílio Alberto Vieira (Portugal)

65.  Vicente Martín Martín (Espanha)

66.  Waldir Araújo (Guiné)

Correntes d’Escritas 2008

Arranca hoje, com o anúncio do vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa, a 9.ª edição do Correntes d’Escritas – Encontro de Escritores de Expressão Ibérica, que decorre, até ao próximo sábado, na Póvoa de Varzim.

Depois do mesquinhez política do dia de hoje, eis que surge algo que me faz pensar que o mundo afinal existe.

Liberto-me de tensões e dedico-me apenas e só apenas à cultura, esperando que amanhã o dia nasça mais limpo.

Correntes d’escritas 2008

Participantes nas Correntes

1.  Adolfo García Ortega (Espanha)

2.  Almeida Faria (Portugal)

3.  Amadeu Baptista (Portugal)

4.  Ana Paula Tavares (Angola)

5.  André Sant’Anna (Brasil)

6.  Aurelino Costa (Portugal)

8.  Carlos do Carmo (Portugal)

9.  Carlos Quiroga (Espanha/Galiza)

10. Carme Riera (Espanha/Catalunha)

11.  Cristina Norton (Argentina)

12.  Cristino Cortes (Portugal)

13.  Daniel Mordzinski (Argentina)

14.  Eduardo Halfon (Guatemala)

15.  Eduardo Mendoza (Espanha/Catalunha)

16.  Eugenia Almeida (Argentina)

17.  Filipa Leal (Portugal)

18.  Francisco José Viegas (Portugal)

19.  Ignacio del Valle (Espanha)

20.  Isabel da Nóbrega (Portugal)

21.  Ivo Machado (Portugal) 

22.  J.J. Armas Marcelo (Espanha)

23.  Janet Nuñez (Colômbia)

24.  João Paulo Cuenca (Brasil)

25.  Jorge Sousa Braga (Portugal)

26.  José Carlos de Vasconcelos (Portugal)

27.  José Eduardo Agualusa (Angola)

28.  José Emílio-Nelson (Portugal)

29.  José Manuel Vasconcelos (Portugal)

30.  José Manuel Saraiva (Portugal)

31.  José Norton (Portugal) 

32.  Juan Carlos Mestre (Espanha)

33.  Júlio Moreira (Portugal)

34.  Kiluanje Liberdade (Angola)

35.  Lêdo Ivo (Brasil)

36.  Leonardo Padura (Cuba)

37.  Lígia Walper (Brasil)

38.  Luís Machado (Portugal)

39.  Luís Serguilha (Portugal)

40.  Luiz Fagundes Duarte (Portugal)

41.  Manuel Rui (Angola)

42.  Manuela Azevedo (Portugal) 

43.  Marcelo Rebelo de Sousa (Portugal)

44.  Maria do Rosário Pedreira (Portugal)

45.  Maria Flor Pedroso (Portugal)

46.  Maria João Seixas (Portugal) 

47.  Maria Lúcia Lepecki (Brasil)

48.  Mário Pinheiro (Portugal)

49.  Mia Couto (Moçambique)

50.  Miguel Real (Portugal)

51.  Ondjaki (Angola)

52.  Onésimo Teotónio Almeida (Portugal)

53.  Oscar Málaga Gallegos (Peru)

54.  Paulina Chiziane (Moçambique)

55.  Pedro Teixeira Neves (Portugal)

56.  Pepetela (Angola)

57.  Rui Grácio (Portugal)

58.  Rui Zink (Portugal)

59.  Susana Fortes (Espanha)

60.  Tabajara Ruas (Brasil)

61.  Teresa Rita  Lopes (Portugal)

62.  Uberto Stabile (Espanha)

63.  valter hugo mãe (Portugal)

64.  Vergílio Alberto Vieira (Portugal)

65.  Vicente Martín Martín (Espanha)

66.  Waldir Araújo (Guiné)

Erro? Afinal quem errou?

No debate quinzenal na Assembleia da República de hoje assistimos a mais uma das muitas mentiras do Primeiro Ministro no que respeita à educação.

Então depois de ser questionado por Santana Lopes sobre a avaliação de professores e do «caos» que se vive nas escolas, o Engº teve a distinta lata de responder que as reformas na educação são para levar adiante: «Há um erro que este Governo não vai cometer, que é não avaliar os professores, como aconteceu nos últimos 30 anos».

Ninguém, mas mesmo ninguém sabe na oposição que os professores são avaliados desde 1992, com o decreto regulamentar 14/92 de 4 de Julho alterado pelo decreto regulamentar 11/98 de 15 de Maio?

Ninguém, mas mesmo ninguém sabe que existia uma prova de acesso ao 8º Escalão que outro Engº socialista resolveu eliminar como troca de votos para o próprio PS?

O Presidente da República devia puxar as orelhas ao Primeiro Ministro pois foi durante a sua governação enquanto Primeiro Ministro que foi criado o primeiro sistema de Avaliação de Professores.

O meu bilhete chegou

Chegou hoje o meu bilhete para o concerto de Nick Cave no dia 22 de Abril no Coliseu dos Recreios do Porto.

O 14º Album de Nick Cave chama-se Dig, Lazarus, Dig

Pela 6ª vez assisto a um concerto de Nick Cave. Mau sinal, estou a ficar tão careca quanto ele. Não faltei a nenhum na Zona Norte de Portugal, dispensando-me de assistir a qualquer concerto dele na zona sul.  Na minha adolescência, andava eu na Escola Secundária Rodrigues de Freitas, conheci Birthday Party pela primeira vez, penso que no ano de 1984 ou 1985.

Se os Bad Seeds já estavam formados não posso garantir.

Desde esse dia Nick Cave é o meu músico de eleição.

1º Concerto 17/12/88 – Porto, Teatro Rivoli

2º Concerto 04/09/92 – Porto, Portugal, Coliseu

3º Concerto 11/06/94 – Porto, Coliseu

4º Concerto 01/07/98 – Porto, Imperial Festival, Campo De treinos Do Estadio Das Antas

5º Concerto 18/07/05 – Festival Paredes de Coura

Bilhete Nick Cave

O que Sócrates vai responder a Portas?

É hoje o dia em que Paulo Portas vais questionar Sócrates no debate quinzenal da Assembleia da República.

Aqui esta a pergunta à espera de resposta

«O senhor primeiro-ministro imagine que é professor, tem uma turma de 30 alunos, uma parte não sabe a matéria e não tem conhecimentos para passar. O que é que faz o senhor primeiro-ministro? Dá notas artificialmente ou defende a verdade escolar e pode ficar prejudicado»

No meu ponto de vista Sócrates pensa que os alunos não precisam do conhecimento para passar. Estou um pouco ansioso, é verdade, para perceber se ele dirá isso claramente ou se utilizará uma artimanha qualquer para evitar a resposta.

Sócrates

Curiosidade, na minha segunda entrada – "Municípios", outra vez

Ministra diz que municípios vão poder gerir contratação e colocação de professores 

O Governo vai dar às autarquias a possibilidade de gerirem a contratação e colocação de professores, disponibilizando-se para contratualizar com os municípios interessados a transferência dessa competência, anunciou a ministra da Educação, numa entrevista à agência Lusa.

Na última semana a produção de notícias vindas da 5 de Outubro tem servido para ocultar as incompetências técnicas que o Ministério da Educação tem feito ao longo dos últimos tempos.

Esta notícia, mais uma, está a tranformar o ambiente das escolas num autêntico circo de feras onde existe tempo para tudo menos para o essencial  da função de professor que é ENSINAR.

“O diploma prevê essa possibilidade. Havendo escolas e havendo autarquias disponíveis para essa experiência, o Ministério da Educação (ME) contratualizará os termos em que essa transferência pode ser feita”, afirmou Maria de Lurdes Rodrigues, explicando que está em causa “tudo o que respeita ao recrutamento, gestão e colocação de professores”.

Mas é que é tudo mesmo!!

Não existe a possibilidade de os Municípios mandarem esta Ministra para um sítio que eu cá sei??

a ministra ressalvou que a discussão sobre a transferência de competências relacionadas com a gestão dos professores “está um pouco mais atrasada” do que a negociação relativa aos funcionários não docentes.

Mas é só um pouquinho, ela em dois ou três dias acerta o passo e põe isto a rolar. Chama os sindicatos, porque a isso é obrigada, anuncia as medidas e pronto, já está!

“Em termos de pessoal docente a discussão está um pouco mais atrasada porque nem as autarquias se sentem, em regra, com capacidade e com recursos necessários para fazer essa gestão, nem imagino que os sindicatos estejam muito disponíveis para a discussão desse assunto”, explicou.

Os sindicatos são uma chatice. Só estorvam. Por isso vai chamá-los para uma reuniãozeca com o Pedreirazeca ou o Valterzeco mostra-lhes as propostazecas ficando assim cumprida a obrigação que a Lei impõe para estas materiazecas.
 


 

Ministra da Educação

Curiosidade, na minha segunda entrada – “Municípios”, outra vez

Ministra diz que municípios vão poder gerir contratação e colocação de professores 

O Governo vai dar às autarquias a possibilidade de gerirem a contratação e colocação de professores, disponibilizando-se para contratualizar com os municípios interessados a transferência dessa competência, anunciou a ministra da Educação, numa entrevista à agência Lusa.

Na última semana a produção de notícias vindas da 5 de Outubro tem servido para ocultar as incompetências técnicas que o Ministério da Educação tem feito ao longo dos últimos tempos.

Esta notícia, mais uma, está a tranformar o ambiente das escolas num autêntico circo de feras onde existe tempo para tudo menos para o essencial  da função de professor que é ENSINAR.

“O diploma prevê essa possibilidade. Havendo escolas e havendo autarquias disponíveis para essa experiência, o Ministério da Educação (ME) contratualizará os termos em que essa transferência pode ser feita”, afirmou Maria de Lurdes Rodrigues, explicando que está em causa “tudo o que respeita ao recrutamento, gestão e colocação de professores”.

Mas é que é tudo mesmo!!

Não existe a possibilidade de os Municípios mandarem esta Ministra para um sítio que eu cá sei??

a ministra ressalvou que a discussão sobre a transferência de competências relacionadas com a gestão dos professores “está um pouco mais atrasada” do que a negociação relativa aos funcionários não docentes.

Mas é só um pouquinho, ela em dois ou três dias acerta o passo e põe isto a rolar. Chama os sindicatos, porque a isso é obrigada, anuncia as medidas e pronto, já está!

“Em termos de pessoal docente a discussão está um pouco mais atrasada porque nem as autarquias se sentem, em regra, com capacidade e com recursos necessários para fazer essa gestão, nem imagino que os sindicatos estejam muito disponíveis para a discussão desse assunto”, explicou.

Os sindicatos são uma chatice. Só estorvam. Por isso vai chamá-los para uma reuniãozeca com o Pedreirazeca ou o Valterzeco mostra-lhes as propostazecas ficando assim cumprida a obrigação que a Lei impõe para estas materiazecas.
 


 

Ministra da Educação